“O futebol é uma representação contemporânea da escravatura”, diz ex-árbitro Márcio Chagas

Por Juan Ortiz

Do portal Carta Maior:Em palestra no Fórum Social das Resistências, em Porto Alegre, ex-árbitro conta como o racismo o levou a abandonar a carreira

Créditos da foto: (Juan Ortiz)

A gente tem que botar o dedo na ferida”, introduziu o comentarista esportivo Márcio Chagas no início da noite da última quinta-feira, dia 23, na Câmara Municipal de Porto Alegre. Chagas falaria durante as próximas duas horas sobre racismo no futebol, tema que o levou ao Fórum Social das Resistências 2020.

Além dele, também participaram da conversa Alexandre Carvalho, diretor-executivo do Observatório da Discriminação Racial no Futebol, e representantes do Fórum de Segurança Alimentar e Nutricional dos Povos Tradicionais de Matriz Africana (Fonsanpotma).
No início da semana, os jogadores Tavares e Vinícius Mello, das categorias de base do Internacional, foram chamados de “macacos” por rivais uruguaios do time Albión, durante uma partida da Copa Santiago de Futebol Sub-20. As comissões técnicas de ambos times foram alertadas, mas ignoraram o episódio.

De acordo com registros do Observatório, houve 59 casos de injúria racial no futebol brasileiro em 2019 – 16 deles só no Rio Grande do Sul. O próprio Márcio Chagas foi vítima de um desses episódios no dia 15 de dezembro. Embora tenha deixado a arbitragem profissional em 2014, foi convidado a apitar a final do campeonato municipal de Ajuricaba, noroeste gaúcho, entre América e Juventus. No meio do jogo, um torcedor gritou “apita direito, negro safado, se não apitar direito vão fazer que nem em Bento Gonçalves”. A ameaça verbal, que fez o homem ser levado à delegacia e depois liberado, era uma referência ao episódio de racismo que deu fim à carreira de Chagas nos gramados.

Leia mais no portal Carta Maior:
https://www.cartamaior.com.br/?/Editoria/Movimentos-Sociais/-O-futebol-e-uma-representacao-contemporanea-da-escravatura-diz-Marcio-Chagas/2/46356

Sobre joaoantoniofilho

João Antonio da Silva Filho é Mestre em Filosofia do Direito pala PUC - SP. É autor dos livros "A Democracia e a Democracia em Norberto Bobbio", "A Era do Direito Positivo" e "O Sujeito Oculto do Crime - Reflexões Sobre a Teoria do Dominio do Fato", publicados pela editora Verbatin. Advogado, foi vereador da capital por três mandatos consecutivos e deputado estadual por São Paulo. João Antonio nasceu em São João do Paraiso - norte de Minas Gerais. Atualmente é conselheiro do Tribunal de Contas do municipio de São Paulo.
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s