Curiosidade – por trás da música debaixo dos caracóis – Roberto e Erasmo Carlos

Em Londres, Caetano não se aguentou com visita do rei. O episódio está na canção de Roberto Carlos

A influência hippie dos tropicalistas não agradava muito a ditadura militar. Depois de serem presos sem muita justificativa, Gilberto Gil e Caetano Veloso receberam ordens expressas: “Vocês podem fazer um show em Salvador, para arrecadar algum recurso, e depois devem deixar o País”. Gilberto Gil achou Londres a maior curtição. Mas Caetano pouco aproveitou da viagem forçada.

Na Inglaterra, andava cabisbaixo. Chegou a gravar Asa Branca, para relembrar da pátria. Sem falar que sua London, London, composta na cidade, é só nostalgia. O Pasquim publicou uma carta dele enviada em 1969: “As crianças inglesas são belas e agressivas. A rainha Elisabete está pedindo aumento de salário. Eu não dependo disso tudo. Nada disso depende de mim. O Rei esteve ontem aqui em casa e eu chorei muito. Se você quiser saber quem eu sou posso lhe dizer: entre no meu carro, na estrada de Santos você vai me conhecer”.

Sim, o rei era Roberto Carlos que, de passagem pela cidade, visitou os jovens brasileiros. Mostrou sua nova música, Nas Curvas da Estrada de Santos, e deixou Caetano às lágrimas. O cantor da Jovem Guarda ficou tão condoído com o choro do baiano exilado que, na volta ao Brasil, compôs para ele a canção Debaixo dos Caracóis dos Seus Cabelos, com Erasmo Carlos: As luzes e o colorido / Que você vê agora / Nas ruas por onde anda / Na casa onde mora / Você olha tudo e nada / Lhe faz ficar contente / Você só deseja agora / Voltar pra sua gente.

Em tempos de ditadura militar, a letra não deixava explícito o exílio como tema, mas trazia versos lindíssimos como Você anda pela tarde / E seu olhar tristonho / Deixa sangrar no peito / Uma saudade, um sonho. No vídeo abaixo, em gravação do programa Ensaio, Caetano interpreta a canção, lembra da história e afirma: “Muitas vezes tive que segurar o choro para cantar a música”.

Por Natália Pesciotta (Adaptado do Almanaque Brasil: Longe de casa) publicado originalmente no portal: https://almanaquebrasil.com.br/personalidades-cultura/10769-longe-de-casa.html

Sobre joaoantoniofilho

João Antonio da Silva Filho é Mestre em Filosofia do Direito pala PUC - SP. É autor dos livros "A Democracia e a Democracia em Norberto Bobbio", "A Era do Direito Positivo" e "O Sujeito Oculto do Crime - Reflexões Sobre a Teoria do Dominio do Fato", publicados pela editora Verbatin. Advogado, foi vereador da capital por três mandatos consecutivos e deputado estadual por São Paulo. João Antonio nasceu em São João do Paraiso - norte de Minas Gerais. Atualmente é conselheiro do Tribunal de Contas do municipio de São Paulo.
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s