Jessier Quirino: o poeta que fala, canta e recita as coisas do Nordeste

Jessier Quirino (1954) é um poeta, compositor e interprete brasileiro, que faz uso de um linguajar nordestino utilizado como um recurso cômico além de expressar a rica cultura popular existente no sertão nordestino.

Jessier Quirino (1954) Nasceu em Campina Grande no estado da Paraíba, no dia 30 de abril de 1954. Foi aluno do Instituto Domingos Sávio e do Colégio Pio XI. Com 11 anos ingressou na Escola de Artes. Após concluir o ensino secundário mudou-se para a cidade do Recife, onde estudou no Colégio Esuda. Com 16 anos aprendeu sozinho a tocar violão.

De volta ao seu estado, ingressou na Faculdade de Arquitetura da Universidade Federal da Paraíba, onde se graduou em 1982. Em 1983 fixou residência na cidade de Itabaiana. Durante vários anos exerceu sua profissão de arquiteto. Começou a compor, segundo ele, sob a influência da poesia matuta de Zé da Luz e de Zé Laurentino, do cantar dos repentistas e da convivência com os sertanejos do interior da Paraíba.

Em 1998 lançou seu primeiro livro de poesias “Paisagem do Interior” e desde então virou artista de palco, fazendo apresentações em teatros, universidades, clubes, grandes convenções, festivais de repentistas etc. Seu trabalho com a rima e a métrica tem sido estudado nas salas de aula. Por duas vezes sua obra foi tema do vestibular da Universidade Católica de Pernambuco. Seus livros infantis: “Chapéu Mau e Lobinho Vermelho” e “Miudinha” foram adotados no programa Educação de Jovens e Adultos do MEC, para o Estado de Pernambuco.

A poesia, os “causos” do interior, os cordéis e as músicas de Jessier Quirino já foram publicadas em livros e CDs. “Além de Paisagem do Interior” (1998), publicou: “Agruras da Lata D’água” (1998), os CDs “Paisagem do Interior I” (1999), “Paisagem do Interior II” (1999), “Prosa Morena” (livro e CD, 2001), “Política de Pé de Muro” (2002), “Bandeira Nordestina” (livro e CD, 2006), “Berro Novo” (livro e CD, 2010), “Papel de Bodega” (livro e CD, 2013), “Vizinhos de Grito” (DVD – gravado ao vivo no Teatro da Boa Vista, no Recife, 2013).

Em suas poesias e prosas, Jessier brinca com as palavras, entre elas: “Vou-me Embora P’ro Passado”, “Coisas Pra Se Dizer Benzó-Deus”, “Parafuso de Cabo de Serrote”, “Pru-Qui-Pru-Li, Pru Culá”, “Uma Paixão Pra Santinha”, “Respondendo o Perguntado”, “O Nó da Sabedoria”, “Sonhos de Uma Cidadezinha Mais ou Menos”, “Papel de Bodega”, “Movimento dos Sem-pé-nem-cabeça”, entre outras.

Jessier Quirino deixou a arquitetura de lado e segue a carreira de poeta compositor e artista de palco. Já participou de diversos programas de rádio e Televisão. Suas apresentações são acompanhadas dos filhos músicos: Vitor Quirino (no violão) e Matheus Quirino (percussão). O artista se autodenomina: “Arquiteto por profissão, poeta por vocação e matuto por convicção”.

Sobre joaoantoniofilho

João Antonio da Silva Filho é Mestre em Filosofia do Direito pala PUC - SP. É autor dos livros "A Democracia e a Democracia em Norberto Bobbio", "A Era do Direito Positivo" e "O Sujeito Oculto do Crime - Reflexões Sobre a Teoria do Dominio do Fato", publicados pela editora Verbatin. Advogado, foi vereador da capital por três mandatos consecutivos e deputado estadual por São Paulo. João Antonio nasceu em São João do Paraiso - norte de Minas Gerais. Atualmente é conselheiro do Tribunal de Contas do municipio de São Paulo.
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.