Realismo subjugado

Usando chinelos de dedos, de bermuda, sem camiseta e sem brilho no olhar, Nezinho tentava chamar atenção para o seu produto…

No pacotinho que deixava sobre os retrovisores dos carros um pequeno texto: “vendo balas nas ruas para ajudar minha mãe. Tenho dois irmãos pequenos, não quero ver eles passando fome. Também não quero roubar. Obrigado! Deus te ajuda.”

Sem textos complexos, sem malícia e sem maldade no coração, Nezinho não se achava um estorvo…

Fazia o que estava ao seu alcance…

Carregava com “naturalidade” o peso da crueldade dos ambiciosos, da indiferença dos egoístas e da arrogância dos presunçosos…

Para ele, a manhã seguinte estava distante demais…

Seu horizonte imediato plausível era uma noite de sono tranquilo ao lado dos seus – uma noite sem fome.

Seu conformismo inconsciente era apenas o retrato do seu mundo…

No subconsciente do adolescente um singelo desejo: ser reconhecido como gente.

Mimila K Rocha

Sobre joaoantoniofilho

João Antonio da Silva Filho é Mestre em Filosofia do Direito pala PUC - SP. É autor dos livros "A Democracia e a Democracia em Norberto Bobbio", "A Era do Direito Positivo" e "O Sujeito Oculto do Crime - Reflexões Sobre a Teoria do Dominio do Fato", publicados pela editora Verbatin. Advogado, foi vereador da capital por três mandatos consecutivos e deputado estadual por São Paulo. João Antonio nasceu em São João do Paraiso - norte de Minas Gerais. Atualmente é conselheiro do Tribunal de Contas do municipio de São Paulo.
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s