Vida e arte de Giuseppe Pellizza da Volpedo – o polêmico, porém talentoso pintor italiano.

Giuseppe Pellizza da Volpedo

Giuseppe Pellizza da Volpedo: um pintor italiano pontilhista e social-realista. Filho de agricultores, frequentou a escola técnica em Castelnuovo Scrivia, onde aprendeu os rudimentos do desenho. Estudou na Academia de Belas Artes de Brera, com Francesco Hayez e Giuseppe Bertini. Teve aulas particulares com o pintor Giuseppe Puricelli e mais tarde tornou-se um estudante de Pio Sanquirico. Expôs pela primeira vez em Brera em 1885. Após completar seus estudos em Milão, Pellizza decidiu prosseguir o estágio indo para Roma, à Accademia di San Luca e em seguida à Academia Francesa na Villa Medici.

Il sole o Il sole nascente

Frustrado, contudo, fugiu de Roma para Florença, onde frequentou a \’ Academia de Belas Artes tendo Giovanni Fattori como professor. No final do ano letivo de volta a Volpedo, dedica-se ao estudo e à pintura da natureza. Insatisfeito novamente, vai a Bergamo, à Accademia Carrara, onde teve aulas particulares de Heel Cesare.

família de Emigrantes

Em 1889 visitou Paris, por ocasião da Feira Mundial. Participou da Academia Lígure de Gênova. No final deste estágio, retornou à terra natal, onde se casou com Teresa Bin, em 1892. A partir desse ano, passou a assinar “Volpedo”. Em 1898, participou da Exposição Geral de Turim. Passa gradualmente ao pontilhismo, como fizeram Giovanni Segantini, Angelo Morbelli, Plinio Nomellini, Emilio Longoni e, em parte, Gaetano Previati.

Em 1891 expôs na Trienal de Milão, tornando-se conhecido do público em geral. Ele continuou a se apresentar pela Itália (Exposição Italo-Colombiana de Gênova em 1892, e novamente em Miçao em 1894) e voltou à Florença em 1893. Visitou em seguida Roma e Nápoles. Em 1900 expôs em Paris.

Em 1901 completou Il Quarto Stato, ao qual dedicou dez anos de estudo e empenho. O trabalho, exibido no ano seguinte na Quadrienal de Turim, não obteve o reconhecimento esperado, mas provocou polêmica e confusão entre muitos de seus amigos.

O Quarto Estado

Desapontado, ele acabou rompendo relações com muitos escritores e artistas da época. Após a morte de sua esposa, em 1907, entrou em depressão profunda e em 14 de junho, antes dos quarenta anos de idade, enforcou-se em seu ateliê em Volpedo.

Sobre joaoantoniofilho

João Antonio da Silva Filho é Mestre em Filosofia do Direito pala PUC - SP. É autor dos livros "A Democracia e a Democracia em Norberto Bobbio", "A Era do Direito Positivo" e "O Sujeito Oculto do Crime - Reflexões Sobre a Teoria do Dominio do Fato", publicados pela editora Verbatin. Advogado, foi vereador da capital por três mandatos consecutivos e deputado estadual por São Paulo. João Antonio nasceu em São João do Paraiso - norte de Minas Gerais. Atualmente é conselheiro do Tribunal de Contas do municipio de São Paulo.
Esse post foi publicado em Sem categoria. Bookmark o link permanente.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s